Hillary: Israel deve provar compromisso com processo de paz

Washington, 16 mar (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse hoje que Israel deve demonstrar seu compromisso com o processo de paz no Oriente Médio, mas negou que as relações com o país entraram em crise depois que os israelenses aprovaram a construção de 1.

EFE |

600 casas em Jerusalém Oriental.

Hillary disse que o "objetivo é contar com o compromisso pleno dos israelenses e dos palestinos" com o processo de paz.

As declarações da diplomata foram feitas após a reunião com seu colega irlandês, Micheal Martin.

Segundo a secretária de Estado americana, os funcionários israelenses e americanos mantêm contatos intensos sobre os passos que as ambas as partes acham "que demonstrarão o compromisso necessário com o processo".

O Governo americano, acrescentou, espera uma resposta israelense às sugestões sobre como reparar o dano causado pelo anúncio da construção de novas casas. O comunicado foi feito enquanto o vice-presidente dos EUA, Joseph Biden, estava em Jerusalém para uma visita oficial.

Hillary telefonou para o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e conversou com o governante por cerca de 43 minutos, repreendendo a medida duramente. Até agora, Netanyahu apenas pediu desculpas pela forma como as construções foram anunciadas, mas não pelo conteúdo do anúncio.

O jornal "The Washington Post" disse hoje que, durante o telefonema, a secretária de Estado pediu que o primeiro-ministro não só cancele a construção das casas, mas que também faça um gesto "substancial" e declare que as negociações de paz incluirão todos os "assuntos principais", incluindo o status de Jerusalém.

Segundo o jornal, o Governo americano espera uma resposta israelense ainda hoje. Por causa do anúncio, a Autoridade Nacional Palestina (ANP) se retirou das conversas indiretas de paz, anunciadas pelos EUA há poucos dias.

O enviado especial americano para o Oriente Médio, George Mitchell, que deveria chegar hoje à região, adiou a viagem.

A secretária de Estado e o primeiro-ministro devem se encontrar em Washington neste fim de semana, quando os dois participarão da reunião anual do lobby pró-israelense americano, representado pela American Israel Public Affairs Commitee (Aipac).

As críticas do Governo americano ao seu tradicional aliado causaram certa preocupação entre os congressistas judeus americanos.

Dois legisladores, o republicano Mark Kirk e o democrata Christopher Carney, enviaram hoje uma carta à Casa Branca para pedir à Administração do Presidente Barack Obama que se abstenha de novas críticas públicas ao Governo do país. EFE mv/pb-sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG