Hillary estabelece condições para governo palestino com o Hamas

WASHINGTON (Reuters) - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse nesta quarta-feira que os Estados Unidos não negociarão ou financiarão um governo palestino que inclua o Hamas a menos que os palestinos cumpram três condições internacionais. Não negociaremos com ou financiaremos um governo palestino que inclua o Hamas a menos e até que o Hamas renuncie à violência, reconheça Israel e concorde em cumprir as obrigações anteriores da Autoridade Palestina, disse Hillary ao comitê de Relações Exteriores do Congresso.

Reuters |

Hillary afirmou ter deixado clara a posição dos EUA durante conversas com árabes e outros aliados. Os EUA são favoráveis à criação de um Estado palestino independente vizinho à Israel como solução do conflito.

"Queremos deixar a porta aberta" para a inclusão do Hamas, disse Hillary.

"De tudo que escutamos, não há intenção por parte do Hamas em cumprir estas condições, mas estas não são condições só dos EUA. Estas são condições que foram adotadas pelo quarteto", disse ela, se referindo às propostas feitas pelo grupo formado por EUA, União Europeia, ONU e Rússia.

"Estas, na verdade, são as condições... da iniciativa de paz árabe", completou ela.

O presidente norte-americano, Barack Obama, disse que israelenses e palestinos deveriam "recuar do abismo" e convidou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, e o presidente egípcio, Hosni Mubarak, para conversas separadas no início de junho.

(Reportagem de Sue Pleming e John Whitesides)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG