Hillary escolhe Ásia como destino de sua 1ª viagem como secretária de Estado

Washington, 5 fev (EFE).- A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, iniciará em 15 de fevereiro sua primeira viagem oficial ao exterior como chefe da diplomacia americana, durante a qual visitará Japão, Indonésia, Coreia do Sul e China.

EFE |

A ex-primeira-dama visitará Tóquio de 16 a 18 de fevereiro, Jacarta de 18 a 19, Seul de 19 a 20 e Pequim de 20 a 22, informou hoje o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Wood.

Nas reuniões, Hillary abordará as estratégias comuns que devem ser usadas para enfrentar os desafios da comunidade internacional, como a crise financeira, os problemas humanitários, a segurança e a mudança climática.

Hillary escolheu a Ásia para fazer sua primeira viagem ao exterior pelo fato de ser "uma parte muito importante do mundo", e ela considerou que visitar o continente "enviaria um tremendo sinal à região e ao mundo da importância que tem, particularmente para a agenda de política externa", explicou Wood.

"É uma parte muito importante do mundo. É uma parte muito estratégica do mundo, e é lógico que ela queira ir para lá. E o fato de que vai primeiro à Ásia é muito significativo", acrescentou.

No Japão, a secretária de Estado conversará com autoridades sobre a aliança estratégica entre os países e a cooperação bilateral em assuntos regionais e globais, indicou Wood.

Na sua visita a Jacarta, a chefe da diplomacia americana abordará com líderes indonésios as estreitas e crescentes relações dos EUA com o país e suas perspectivas e interesses comuns no sul da Ásia.

Já em sua parada em Seul, Hillary conversará com as autoridades o fortalecimento dos laços entre Coreia do Sul e Estados Unidos, e em Pequim estudará com o Governo chinês como estreitar mais as relações bilaterais.

Um tema importante de conversa da secretária de Estado com seus parceiros asiáticos será "obviamente" a Coreia do Norte, já que, além de EUA e Rússia, tanto China quanto Japão e Coreia do Sul participam do diálogo de seis lados para conseguir que Pyongyang abandone seu programa nuclear, destacou Wood.

Na China, Hillary tocará também em assuntos relacionados com os direitos humanos e com o Tibete, cuja situação "sempre costuma ser abordada" nas conversas dos EUA com Pequim, indicou o porta-voz. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG