Hillary elogia Berlusconi após vazamento do WikiLeaks

Secretária diz que EUA 'não têm amigo melhor' que o premiê, descrito em documentos secretos somo 'irresponsável' e 'pouco eficaz'

iG São Paulo |

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou nesta quarta-feira que os Estados Unidos não têm "amigo melhor" que o primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

A declaração foi feita depois de o site WikiLeaks divulgar documentos secretos da diplomacia americana nos quais Berlusconi é descrito como "irresponsável, vão e pouco eficaz como líder europeu moderno".

"Não temos amigo melhor. Ninguém apoia as políticas americanas de forma tão consistente como o primeiro-ministro Berlusconi", disse Hillary Clinton a jornalista durante encontro com o premiê em Astana, no Cazaquistão, onde participam da cúpula da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE).

"Os Estados Unidos, os governos republicano e democrata de forma igual, sabem que podem contar com o primeiro-ministro para apoiar as políticas e valores compartilhados pela Itália e pelos Estados Unidos", completou Hillary.

A reunião teria sido solicitada por Hillary, e acredita-se que os dois tenham discutido algumas das revelações do site WikiLeaks.

Em um dos documentos divulgados, diplomatas americanos descrevem Berlusconi como "frágil física e politicamente" por não  descansar apropriadamente por causa das festas que dá até altas horas da madrugada.

'Ataque à comunidade internacional'

Os cerca de 250 mil documentos secretos começaram a ser divulgados no domingo, numa operação que foi duramente criticada por Hillary Clinton. Para a secretária de Estado americana, o vazamento representa um "ataque à comunidade internacional".

"Essa divulgação não é apenas um atentado a interesses estrangeiros da política americana. É um ataque à comunidade internacional", disse Hillary a jornalistas após uma reunião com o Ministro das Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu. "Quero que vocês saibam que estamos tomando medidas agressivas para responsabilizar quem roubou as informações", acrescentou.

A secretária de Estado explicou ainda que foram ordenadas "ações específicas no Departamento de Estado, além de novas medidas de segurança no Departamento de Defesa e em outros lugares" e condenou violações e vazamento desse tipo, ao prometer que não poderão acontecer novamente.

Com Reuters

    Leia tudo sobre: wikileaksdocumentos diplomáticosberlusconieuahillary

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG