Hillary e Kouchner descartam falar com Hamas sem que aceite processo de paz

Washington, 5 fev (EFE).- A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, e o ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard Kouchner, afirmaram hoje que não falarão com o Hamas enquanto o movimento islâmico não aceitar o processo de paz palestino-israelense.

EFE |

Em declarações depois do almoço e da reunião de trabalho entre Hillary e Kouchner no Departamento de Estado, os dois insistiram em que as condições dos EUA e da França com relação ao grupo islâmico são "muito claras".

O ministro francês explicou que o país falará com o Hamas quando o grupo "começar a conversar com o povo palestino, aceitar o processo de paz e a assinatura da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) nos documentos palestino-israelenses e, principalmente, a iniciativa árabe".

"Nossas condições com relação ao Hamas são muito claras", afirmou Hillary.

"Não negociaremos de maneira alguma com o Hamas nem reconheceremos o grupo até que renunciem à violência, reconheçam Israel e concordem em acatar os acordos prévios entre a OLP e as autoridades palestinas", ressaltou.

A OLP foi criada por líderes árabes em 1964 para aglutinar todos os grupos palestinos. O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, não pertence à organização.

Na reunião bilateral, EUA e França concordaram em pressionar israelenses e palestinos para que sejam abertas as passagens em direção à Faixa, segundo Kouchner.

O ministro também se declarou "muito preocupado" com a situação humanitária em Gaza após a recente ofensiva militar israelense contra o Hamas.

A secretária de Estado americana abordou com Kouchner também outros temas, como o Afeganistão e Darfur. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG