Hillary diz que sanções conterão ambições nucleares da Coreia do Norte

Toronto - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse neste sábado que as novas sanções das Nações Unidas à Coreia do Norte são necessárias para ajudar a frear as ambições nucleares de Pyongyang.

EFE |

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou na sexta-feira uma nova resolução com sanções que visam a bloquear o acesso de Pyongyang aos recursos necessários para levar à frente as atividades nucleares norte-coreanas.

A resolução também autoriza a inspeção dos navios e aviões suspeitos de transportar armamento para Pyongyang tanto em alto-mar como nos portos.

Hillary, que participou hoje em um ato conjunto com o ministro de Assuntos Exteriores canadense, Lawrence Cannon, nas cataratas do Niágara, na província canadense de Ontário, descreveu a decisão da ONU como "uma declaração formidável da comunidade internacional".

Ela insistiu em que a decisão deixa claro que nem a comunidade internacional nem os vizinhos da Coreia do Norte permitirão que o país continue com suas atividades nucleares.

"Acho que essas sanções (...) dotam a comunidade internacional das ferramentas específicas para empreender as ações necessárias", afirmou a secretária de Estado.

A Coreia do Norte prometeu hoje reforçar seu programa nuclear de enriquecimento de urânio e ameaçou declarar guerra a qualquer país que se atreva a parar seus navios em alto-mar.

Hillary afirmou que os norte-coreanos "foram denunciados por todo o mundo, estão ainda mais isolados e vai contra seus próprios interesses que esse isolamento continue".

A secretária de Estado americana foi para Ontário para comemorar o centenário da assinatura de um tratado em 1909 que criou uma comissão conjunta internacional para resolver as disputas entre Canadá e Estados Unidos.

Leia mais sobre ONU

    Leia tudo sobre: onu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG