WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou nesta quarta-feira que o regime castrista está terminando em Cuba e que os Estados Unidos devem se preparar.

Segundo a chefe da diplomacia americana, o governo dos EUA respeitará uma eventual decisão do Congresso de pôr fim ao embargo à ilha.

"Este é um regime que está terminando. Em algum momento terminará e precisamos estar prontos para isso", disse Hillary em sua primeira audiência como secretária de Estado perante a Comissão de Assuntos Exteriores da Câmara de Representantes.

Por outro lado, Hillary destacou que se o Congresso decidir que o melhor para os interesses dos EUA será acabar com o embargo, que data de 1962, "obviamente o Governo respeitaria" tal decisão.

A secretária de Estado reiterou a postura do presidente Barack Obama de que o governo de Havana deve tomar medidas para a democratização e que Washington está disposto a um diálogo amplo que inclua direitos humanos e liberdade a presos políticos.

Relação com Chávez

Hillary disse também que o presidente dos Estados Unidos estuda "as formas para trabalhar junto" com o líder venezuelano, Hugo Chávez.

Segundo ela, os dois líderes concordaram em normalizar as relações, enviando novamente os respectivos embaixadores. "Chávez é o resultado do isolamento de oito anos a que o submeteu o presidente George W. Bush", afirmou Hillary.

A secretária apontou que a política da administração anterior dos EUA para a América Latina teve direta responsabilidade pelo fortalecimento internacional do líder venezuelano.

A secretária de Estado foi à Câmara para explicar o novo rumo da política externa do governo Obama, que se mostra decidido a melhorar a imagem dos EUA no mundo.

Leia mais sobre Hillary Clinton

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.