Hillary diz que quer diálogo franco e respeitoso com A.Latina

Céline Aemisegger. Washington, 26 fev (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, iniciará nesta segunda-feira sua primeira viagem pela América Latina, onde diz pretender impulsionar um diálogo franco e respeitoso.

EFE |

O secretário de Estado Adjunto para a América Latina dos Estados Unidos, Arturo Valenzuela, disse hoje que esta viagem seguirá de acordo com a filosofia da política externa de seu país, que é impulsionar um "diálogo franco e ameno", no qual se compartilhem "ideias de forma respeitosa".

Além disso, assegurou que os EUA não querem "ditar regras" para ninguém, e pretendem "ouvir" seus parceiros latino-americanos.

Valenzuela disse ainda que Washington pretende estimular a competitividade, o desenvolvimento econômico e o equilíbrio social, além de melhorar a segurança e fortalecer a democracia na região.

A secretária de Estado americana visitará Uruguai, Chile, Brasil, Costa Rica e Guatemala.

Em sua primeira escala, o Uruguai, assistirá, na próxima segunda-feira, à posse do presidente eleito José Mujica.

Ainda no Uruguai, se reunirá com a presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, que criticou na quinta-feira a política externa do Governo Barack Obama em relação à América Latina, ao afirmar que ele "não cumpriu as expectativas" que tinha despertado na região.

Na terça-feira, Hillary viajará ao Chile, onde se reunirá com a governante Michelle Bachelet, e com o presidente eleito Sebastián Piñera.

Um dia depois, a secretária de Estado americana chegará em Brasília, onde se reunirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o ministro das Relações Exteriores Celso Amorim.

O subsecretário de Estado para Assuntos Políticos dos Estados Unidos, William Burns, já se encontra no Brasil para preparar a visita de Hillary.

Burns é o responsável pelas negociações nucleares do Irã com o Grupo 5+1 - os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, EUA, França, Reino Unido e Rússia) mais a Alemanha.

Em sua reunião com Lula e Amorim, a secretária de Estado vai falar do programa nuclear iraniano e das possíveis novas sanções dos Estados Unidos contra a República Islâmica, por sua recusa a abandonar suas ambições nucleares, indicou Valenzuela.

Hillary também abordará assuntos regionais e bilaterais, mas vai, principalmente, encorajar o Brasil a assumir um papel "construtivo" em sua relação com o Irã, para que esse país possa cumprir suas obrigações internacionais.

A chefe da diplomacia americana também viajará a São Paulo, onde visitará uma universidade.

No dia 4, na Costa Rica, se reunirá com o presidente em fim de mandato, Óscar Arias, e com sua sucessora, Laura Chinchila.

Já na Guatemala, última escala de sua viagem, vai se encontrar com líderes centro-americanos e da República Dominicana, e com o presidente guatemalteco, Álvaro Colom.

Por enquanto, está prevista a presença dos presidentes de Honduras, Porfirio Lobo; El Salvador, Mauricio Funes; Costa Rica, Óscar Arias, e da República Dominicana, Leonel Fernández. EFE cae/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG