Hillary diz que EUA querem estreitar relações com a Nigéria

Lagos, 12 ago (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse hoje que seu país quer ter vínculos mais fortes com a Nigéria, país no qual se encontra desde a noite de terça-feira e que é a quinta parada de sua atual viagem pela África.

EFE |

A declaração de Hillary foi feita após uma reunião com o Ministro de Assuntos Exteriores nigeriano, Ojo Maduekwe.

As conversas entre a americana e seu colega nigeriano terminaram com a assinatura de um acordo que prevê a criação de uma comissão conjunta para promover o fortalecimento das relações entre os dois países.

Durante uma entrevista coletiva após o encontro, Hillary disse que a comissão conjunta tratará de vários "assuntos em nível nacional, estadual e local".

A chefe da diplomacia americana destacou que os EUA veem a Nigéria como "um grande aliado" e que, devido a seu papel de liderança na África, "é essencial que este país seja bem-sucedido".

"Sem a Nigéria, a Libéria não teria se libertado e Serra Leoa não estaria em paz", disse Hillary, segundo quem o Governo nigeriano se posicionou contra os golpes e as ditaduras na Mauritânia, em Guiné, no Níger e em Zimbábue.

Na mesma entrevista, o ministro Maduekwe admitiu a "injustiça histórica" que se cometeu no delta do rio Níger. Mas afirmou que o Governo está resolvendo o problema e disse acreditar que a anistia oferecida aos rebeldes locais consolidará a paz e vai acelerar o desenvolvimento da região.

Maduekwe também falou do conflito entre as comunidades cristãs e muçulmanas da Nigéria e negou que o país seja um refúgio para radicais islâmicos.

"Não temos impulsos suicidas. Amamos a vida. Sabemos que existe o paraíso, mas não queremos chegar a ele mediante ações estúpidas. O fanatismo não pode fincar raízes na Nigéria", afirmou o ministro.

Hillary, que se reuniu esta manhã com os líderes de vários partidos políticos, se encontrará com o presidente Umaru Yar'Adua antes de uma conferência em Abuja, a capital federal da Nigéria.

Amanhã, a secretária de Estado americana partirá em direção à Libéria e, depois, a Cabo Verde, de onde voltará para Washington.

Antes de chegar à Nigéria, ela visitou Quênia, África do Sul, Angola e República Democrática do Congo. EFE da/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG