A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou nesta sexta-feira que os Estados Unidos estão preparados para normalizar as relações com a Coreia do Norte caso o país abandone seu programa de produção de armas nucleares. As declarações foram dadas durante um discurso sobre a política externa americana na Asia Society, em Nova York, como parte da preparação para a viagem oficial que Hillary fará ao continente asiático na próxima semana.

"Se a Coreia do Norte estiver genuinamente preparada para eliminar de modo completo e verificável suas armas nucleares, então o governo (do presidente dos EUA Barack) Obama estará disposto a normalizar as relações bilaterais e substituir o armistício na península por uma acordo de paz permanente", disse a secretária de Estado, que ainda prometeu ajuda econômica ao país caso abandone o programa.

Hillary, no entanto, alertou a Coreia do Norte a não tomar "nenhuma atitude de provocação contra a Coreia do Sul".

A visita de Hillary à Ásia - sua primeira viagem oficial desde que assumiu o cargo - acontece em um momento em que crescem os rumores de que a Coreia do Norte estaria preparando um teste com mísseis de longo alcance.

Durante o discurso, ela descreveu a questão nuclear do país como "o mais sério desafio à estabilidade do nordeste da Ásia" e afirmou que os seis países que participam das negociações sobre a questão (EUA, Rússia, Coreias do Norte e do Sul, China e Japão) devem trabalhar juntos para fazerem progressos.

As negociações estão paralisadas há meses. Os Estados Unidos exigem que a Coreia do Norte revele todo seu arsenal nuclear, enquanto Pyongyang alega não estar recebendo o auxílio econômico e humanitário prometido em 2007 em troca do desarmamento.

Em entrevista à BBC, a secretária de Estado americana afirmou que, durante sua viagem, ela procurará fortalecer as parcerias com os países do continente.

"Procuraremos criar parcerias e oportunidades de cooperação que acreditamos serem do interesse de nossa segurança nacional", disse.

"A viagem para a Ásia sinaliza que os Estados Unidos não são apenas um poder transatlântico, mas também um poder que atravessa o Pacífico".

Hillary ainda ressaltou que os Estados Unidos pretendem reforçar suas parcerias com a China.

"Enquanto alguns veem a China como um adversário, há boas oportunidades de se desenvolver boas relações com Pequim em temas como mudanças climáticas e energias limpas".

Hillary embarca em sua viagem oficial para a Ásia no próximo domingo e deve visitar o Japão, a China, Coréia do Sul e Indonésia.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.