Hillary diz esperar que situação se resolva com retorno de filho ao pai

WASHINGTON - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, telefonou para David Goldman para dizer que espera que o caso seja resolvido o mais rápido possível e em seu favor, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais. Goldman, cujo filho foi levado pela mãe para o Brasil em 2004, briga pela guarda de Sean há quatro anos.

Redação com EFE |

"A secretária falou nesta quinta-feira à noite com David Goldman, e ressaltou a importância que este caso tem para os Estados Unidos e a esperança que temos de que seja resolvido de maneira positiva e o mais rápido possível", disse nesta sexta-feira o secretário de Estado adjunto para a América Latina, Tom Shannon.

Goldman, de Nova Jersey, está no Rio de Janeiro, onde visitou seu filho Sean, levado para passar férias no Brasil pela mãe, Bruna, quando tinha 4 anos.

Quando já estava em seu país, a brasileira pediu divórcio e se casou de novo com um influente advogado brasileiro.

Bruna morreu em agosto do ano passado numa mesa de parto. Hoje, a recém-nascida e Sean, que tem 8 anos, vivem com a família do segundo marido.

Goldman luta há mais de quatro anos para ter o filho de volta.

Mas agora a custódia do menino também é pedida pelo segundo marido de Bruna.

Para os EUA, o litígio deve ser resolvido conforme a Convenção de Haia e Sean "deve ser devolvido a seu pai", disse Shannon.

No começo de março, Hillary disse em entrevista à rede de TV "NBC" que "um filho pertence à sua família", e que "não há razão alguma para que David Golman não recupere seu filho".

Na reunião deste sábado entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chefe de Estado americano, Barack Obama, o tema deverá ser abordado.

"O presidente está a par da questão", disse Shannon. "Ele sabe e entende que é importante", acrescentou o secretário de Estado adjunto.


Leia mais sobre EUA

    Leia tudo sobre: eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG