A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, se disse nesta segunda-feira no Egito preocupada com o prosseguimento dos disparos de foguetes contra o sul de Israel a partir da Faixa de Gaza, e conclamou todas as partes a trabalharem para um cessar-fogo duradouro no território palestino.

"Estou preocupada com o prosseguimento dos ataques com foguetes em Gaza. Pedimos a todas as partes que trabalhem para um cessar-fogo duradouro", declarou Hillary Clinton durante uma entrevista coletiva em Sharm el-Sheikh, depois da conferência internacional para a reconstrução de Gaza.

"É muito difícil para um país ficar de braços cruzados enquanto foguetes caem sobre seu próprio povo", acrescentou a secretária de Estado, referindo-se à frágil trégua entre Israel e o movimento radical islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza.

O cessar-fogo foi decretado em 18 de janeiro, depois da mortífera operação israelense que deixou mais de 1.300 mortos no território palestino.

Hillary Clinton destacou a "importância" de que Israel "trabalhe com parceiros palestinos responsáveis", sobretudo com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, e com o primeiro-ministro, Salam Fayyad.

Sobre o processo de paz israelense-palestino, Hillary declarou que os Estados Unidos estão "dispostos a lançar uma diplomacia ativa com todas as partes para chegar a uma resolução global que traga paz e segurança a Israel e a seus vizinhos árabes".

Depois de Sharm el-Sheikh, a chanceler americana deve viajar ainda nesta segunda a Israel para se encontrar na terça-feira com os principais dirigentes israelenses, entre eles Benjamin Netanyahu, líder do Likud (direita), encarregado de formar um novo governo.



Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.