Hillary Clinton quer aumentar poder do Departamento de Estado, diz jornal

Washington, 23 dez (EFE).- A senadora Hillary Clinton, proposta como a futura secretária de Estado americana, quer um departamento com mais poder e competências na crise econômica global, afirmou hoje o jornal The New York Times.

EFE |

Segundo o jornal, Hillary busca também aumentar o número de enviados a "pontos quentes do globo", uma prática que foi comum durante a Administração do marido dela, Bill Clinton.

A ainda senadora por Nova York contará com dois substitutos no Departamento de Estado, James Steinberg, ex-conselheiro de Segurança Nacional adjunto na etapa de Bill Clinton, e Jacob Lew, que foi diretor de Orçamento durante aquela Administração.

Lew se concentrará em conseguir um aumento do orçamento destinado ao corpo diplomático, afirmou o "New York Times".

Além disso, Hillary, que precisa ainda ser confirmada como secretária de Estado pelo Senado, mantém contatos para tentar que seu departamento obtenha um maior papel em questões econômicas internacionais, frente ao protagonismo do Tesouro durante o mandato do presidente George W. Bush.

Até o momento, Hillary e Obama não definiram nomes concretos para enviar às áreas conflituosas do globo, mas alguns nomes estudados são Richard Holbrooke, que já teve papel mediador nos Bálcãs, ou Dennis Ross, que fez o mesmo no Oriente Médio, afirmou o diário.

Durante o mandato de Bush, o Departamento de Estado quase não nomeou enviados especiais e a secretária de Estado, Condoleezza Rice, assumiu a maioria das missões de mediação, o que a manteve com um calendário cheio de viagens, que produziram poucos resultados em regiões como o Oriente Médio. EFE mv/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG