Hillary Clinton pode ser anunciada como a nova secretária de Estado americana

A senadora e ex-primeira-dama Hillary Clinton, que pretendeu tornar-se a primeira mulher a presidir os Estados Unidos, deverá ter seu nome anunciado nesta segunda-feira como a secretária de Estado do governo Barack Obama.

AFP |

Em meio a uma disputa cerrada pela indicação democrata, Hillary Clinton chegou a dizer um dia a jornalistas que votar em Obama seria um salto no escuro que o país não pode se permitir.

"Não podemos nos dar ao luxo de eleger alguém como fizemos com George W. Bush e depois nos surpreender com as decisões tomadas, a direção para a qual conduz o país", enfatizou.

Advogada, primeira-dama e senadora por Nova York, Hillary Diane Rodham, que adotou o sobrenome do marido, o ex-presidente Bill Clinton, nasceu no dia 26 de outubro de 1947 em Illinois (centro), sendo a mais velha de três irmãos.

Na prestigiada universidade de Yale obteve o título de advogada e conheceu Bill Clinton com quem se casou em 1975. O casal teve uma única filha, Chelsea, hoje de 27 anos que acompanha a mãe nas viagens de campanha.

Brilhante oradora, Hillary Clinton carrega o peso de uma imagem julgada muito fria e altaneira por seus detratores.

A ex-primeira-dama está acostumada a críticas. A direita não a perdoa pela fracassada tentativa de reformar o sistema de saúde em 1993-94 durante o mandato do marido, e a associa aos escândalos da era Clinton - o caso imobiliário "Whitewater" e o "Travelgate".

"Descobri que realmente não se deve tomar decisões no calor do momento", disse Hillary Clinton em recente entrevista ao ser ouvida sobre se sentiu envergonhada com a relação do marido com a estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky, que derivou em julgamento político.

Ao mesmo tempo, a senadora por Nova York é uma das mulheres mais admiradas do país, segundo pesquisa Gallup divulgada recentemente.

Suas campanhas eleitorais de 2000 e 2006 em Nova York se converteram em ensaio para a disputa da Casa Branca.

Depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington, Hillary foi considerada uma nova-iorquina modelo, incansável.

Em 2002, como integrante do poderoso Comitê de Defesa do Senado, aprovou a resolução autorizando a invasão do Iraque.

bur-mr/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG