Hillary Clinton pede que OEA readmita Honduras

Países sul-americanos, inclusive o Brasil, não reconhecem a eleição de Porfirio Lobo em Honduras

AFP |

AP
Hillary Clinton conversa com jornalistas nesta segunda-feira
A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, pediu nesta segunda-feira que a Organização dos Estados Americanos (OEA) readmita Honduras no organismo, do qual foi expulsa no ano passado depois do golpe de Estado que derrubou o então presidente Manuel Zelaya.

"Este é o momento para o hemisfério como um todo avançar e dar as boas-vindas ao retorno de Honduras à comunidade interamericana", afirmou Hillary diante dos delegados de 33 países membros da OEA, reunidos em sua 40ª Assembleia Geral em Lima.

As nações sul-americanas, com exceção de Peru e Colômbia, questionaram a eleição em novembro passado de Porfirio Lobo como novo presidente hondurenho, por esta ter sido organizada por aqueles que apoiaram o golpe de Estado de 28 de junho de 2009, que derrubou Zelaya.

Mas Hillary disse que a região deve considerar o fato de Lobo ter sido eleito em "eleições livres e justas", e que pode ver o novo presidente "cumprir suas obrigações sob os acordos de Tegucigalpa-San José", que incluíram a formação de um governo de reconciliação nacional e de uma Comissão da Verdade para investigar o golpe.

Lobo "demonstrou um compromisso consistente e forte com um governo democrático", afirmou a secretária de Estado.

Honduras foi suspensa da OEA em 4 de julho de 2009, em retaliação à destituição do então presidente hondurenho, Manuel Zelaya, em 28 de junho. Para a Organização, a derrubada do líder foi uma ruptura da ordem constitucional do país.

    Leia tudo sobre: HondurasOEA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG