Hillary Clinton pede que iraquianos superem divisões

BAGDÁ - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, pediu neste sábado que os iraquianos superem suas divisões à medida em que uma leva de ataques suicidas a bomba revive os medos de uma guerra sectária quando as tropas norte-americanas se retirarem.

Reuters |

Reuters
Hillary é recebida pelo embaixador dos EUA no Iraque, Christopher Hill

Hillary é recebida pelo embaixador dos EUA no Iraque, Christopher Hill

Em uma breve visita a Bagdá, sua primeira como secretária de Estado, Hillary procurou assegurar aos iraquianos o apoio dos Estados Unidos enquanto Washington se prepara para retirar todas suas tropas até o fim de 2011.

A diplomata norte-americana chegou em avião militar um dia depois de ataque suicida a bomba realizado por duas mulheres do lado de fora de um santuário muçulmano xiita em Bagdá, matando 60 pessoas no incidente singular mais mortal no Iraque em mais de 10 meses.

Foi o terceiro grande ataque em dois dias, elevando a contagem de mortos desde quinta-feira a pelo menos 150 pessoas.

Os ataques espalharam temores do ressurgimento da violência conforme os Estados Unidos se preparam para retirar suas tropas de combate de cidades iraquianas até o fim de junho, acabar com todas as missões de combate até agosto de 2010 e retirar todas as forças até o fim de 2011.

Durante um encontro com cerca de 150 iraquianos na embaixada dos Estados Unidos, um jornalista iraquiano disse que muitos de seus compatriotas estão com medo do que irá acontecer quando as tropas norte-americanas forem embora e que muitas pessoas não confiam nas forças de segurança iraquianas.

"Não há nada mais importante que ter um Iraque unido", respondeu Hillary. "Quanto mais unido estiver o Iraque, mais você irá confiar nos serviços de segurança. Os serviços de segurança precisam ganhar a sua confiança, mas as pessoas precisam exigi-la."

Leia mais sobre: Iraque

    Leia tudo sobre: iraque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG