A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, se encontrou nesta quarta-feira, por 40 minutos, com os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), no Congresso Nacional. Ela deixou a reunião direto para o Palácio do Itamaraty, onde se encontrará com o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim.

Esperada por um grande número de jornalistas, Hillary não respondeu a perguntas da imprensa, anunciando apenas que dará uma entrevista coletiva nesta tarde, no Palácio do Itamaraty.


Hillary é recebida por Sarney e Temer no Senado / Ag. Senado

Ainda nesta manhã, Hillary tem reunião e almoço com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Na pauta, estão temas como mudança do clima, promoção da igualdade racial, negociações na Organização Mundial de Comércio (OMC), cooperação trilateral com o Haiti e com países africanos e reforma da Organização das Nações Unidas (ONU).

Eles assinarão memorandos de entendimento sobre questões de gênero e mudanças climáticas entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e a United States Agency for International Development (Usaid).

Encontro com Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe Hillary na tarde desta quarta-feira, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) - sede provisória da Presidência da República, em Brasília. Na pauta está o programa nuclear no Irã.

Além disso, os dois devem discutir o processo de compra de caças brasileiros para a Força Aérea Brasileira (FAB). A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata à Presidência da República, também participará do encontro.

O governo americano defende novas sanções internacionais contra o Irã por duvidar dos objetivos pacíficos do programa nuclear do país, enquanto o governo brasileiro insiste na via da negociação. Na segunda-feira, durante passagem pela Argentina, Hillary afirmou que quer se assegurar de que o Lula "compreende a preocupação mundial com o Irã".

"Foi constatado que o Irã está violando as determinações da Agência Internacional de Energia Atômica e do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas)", disse. "Esse será um tema abordado pelo Conselho de Segurança, então quero me assegurar de que (o presidente Lula) tem a mesma compreensão que nós temos sobre como esse assunto vai se desenrolar."

Caças

Durante o encontro, a secretária americana também tentará reverter a "falta de confiança" que o Brasil tem em relação aos americanos e que deixou o país em posição desfavorável na disputa pela compra dos caças que equiparão a FAB pelos próximos 30 anos.

Porém, o governo brasileiro já manifestou por diversas vezes a sua preferência pela parceria estratégica com a França. E o ministro da Defesa Nelson Jobim fez, em várias entrevistas, críticas diretas à proposta americana, dizendo que os "precedentes" dos EUA de transferência de tecnologia "não são bons".

Na decisão do Planalto, que está sendo aguardada para o final deste mês, o F-18 Super Hornet americano está disputando com o Rafale francês e o Gripen sueco.


Hillary foi recebida pelo embaixador Thomas Shannon na noite de terça em Brasília

Giro pela América Latina

Depois de passar pelo Brasil nesta quarta-feira, Hillary irá à Costa Rica, onde se reunirá com o presidente Oscar Arias e com a presidente eleita Laura Chinchilla. Na Guatemala, a secretária de Estado dos EUA conversará com o presidente Álvaro Colom.

* Com Agência Estado, Agência Brasil e Agência Senado

Leia mais sobre Hillary Clinton

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.