Hillary Clinton diz que irá até o fim das primárias nos EUA

A pré-candidata democrata à Casa Branca Hillary Clinton voltou a dizer que não se renderá diante do favoritismo de Barack Obama, com quem disputa a indicação de seu partido para a candidatura nas eleições presidenciais de novembro, afirmando que é a melhor opção para enfrentar o republicano John McCain.

AFP |

Hillary, que causou polêmica na sexta-feira ao evocar o assassinato de Robert Kennedy em 1968 como justificativa para permanecer na disputa, insistiu que é a melhor esperança dos democratas para as eleições.

"Estou na corrida porque ainda acho que posso ganhar por mérito", declarou a ex-primeira-dama na capa do New York Daily News.

"Resisto pelos mais profundos princípios de nosso partido e pelos valores dos Estados Unidos, que valorizam a classe média e recompensam o trabalho duro", continuou.

"Como a primeira candidata mulher nesta posição, acho que tenho a responsabilidade de terminar esta corrida", disse a senadora. "E, por último, estou na corrida porque acredito ser a candidata mais forte para estar à altura do senador McCain".

Hillary, que perde para Obama em número de delegados partidários, espera que os "superdelegados" - que podem votar em quem quiserem independentemente do resultado das primárias estaduais - a levem à vitória.

jit/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG