Tóquio - A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, advertiu hoje a Coreia do Norte sobre o possível lançamento de um míssil intercontinental, em entrevista coletiva em Tóquio junto ao ministro japonês de Exteriores, Hirofumi Nakasone.

A responsável pela diplomacia americana afirmou: "A possibilidade do lançamento de um míssil do qual a Coreia do Norte está falando seria de muito pouca ajuda para que as negociações (de desnuclearização) sigam adiante".

Hillary e Nakasone expressaram sintonia sobre suas posições sobre a Coreia do Norte e sobre a necessidade de fortalecer ainda mais a aliança Japão-EUA, pouco após assinar um acordo pelo qual serão realocados 8.000 marines americanos, atualmente na ilha japonesa de Okinawa, ao território americano de Guam.

A secretária de Estado insistiu em que o Japão representa "a pedra angular" da política americana na área da Ásia Pacífico quanto à segurança e que os EUA e Japão, primeira e segunda economia do mundo, "trabalharão juntos" para enfrentar as atuais dificuldades financeiras.

Insistiu em que, no caso de a Coreia do Norte se desnuclearizar, os EUA dariam uma "resposta recíproca", pois tomaria medidas para normalizar as relações com o país comunista, assinaria um tratado de paz e ofereceria ajuda ao povo norte-coreano.

Na entrevista coletiva, Nakasone agradeceu que Clinton tenha decidido se reunir durante sua estadia em Tóquio com familiares dos sequestrados pelo regime da Coreia do Norte para "expressar-lhes sua simpatia" e lembrou que este assunto é chave na posição japonesa.

Leia mais sobre: Coreia do Norte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.