A senadora Hillary Clinton, pré-candidata do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos, citou o Brasil como sendo um exemplo de autosuficiência em combustíveis em um evento da campanha no Estado da Carolina do Norte. O Brasil investiu em pesquisa com cana-de-açúcar e hoje é autosuficiente em energia, afirmou Hillary no Estado, que realizará suas primárias nesta terça-feira, juntamente com o Estado de Indiana.

Tanto Hillary como Barack Obama vêm defendendo que os Estados Unidos invistam em combustíveis alternativos e busquem a autosuficiência energética.

Em diferentes comícios, Hillary tem frisado, no entanto, que esta é uma meta impossível de alcançar ''enquanto os dois homens do petróleo continuarem na Casa Branca'', em referência ao presidente George W. Bush e o vice-presidente Dick Cheney.

Contra a Opep
A pré-candidata democrata afirmou ainda que pretende dissolver a Opep (A Organização de Países Produtores de Petróleo) e usar a lei de antitruste contra a entidade e protestar junto à Organização Mundial do Comércio (OMC) contra as práticas do cartel petrolífero.

''Nós vamos para cima da Opep. Eles não podem continuar sendo um cartel. Um monopólio que se junta a cada dois meses em alguma sala de conferências em alguma parte do mundo para decidir quanto petróleo eles irão produzir e qual o preço que eles vão dar. Isso não é um mercado, é um monopólio'', afirmou, durante uma parada na cidade de Merrillville, em Indiana.

A disparada dos preços da gasolina se tornaram os tópicos dominantes da campanha em Indiana e na Carolina do Norte.

O fato de o preço do barril do petróleo ter superado o valor de US$ 120 foi um estímulo a mais para que o assunto voltasse ao primeiro plano.

Imposto
A senadora defende a proposta, apresentada inicialmente pelo candidato republicano John McCain, de oferecer moratória sobre um imposto federal cobrado sobre a gasolina.

Pela proposta, o imposto de US$ 0,814 por galão (3,78 litros) de gasolina seria provisoriamente suspenso entre durante o período de verão nos Estados Unidos.

Barack Obama diz que a proposta é eleitoreira e de pouca eficácia em termos de benefícios para o consumidor.

Assim como diversos economistas e especialistas na indústria petrolífera, o senador argumenta que os efeitos da proposta seriam insignificantes, uma vez que representariam economizar menos que US$ 30.

Comerciais
No mesmo dia, a campanha de Hillary voltou a divulgar um anúncio de TV e de rádio criticando Obama por não acatar a proposta do indulto ao imposto.

No comercial, um locutor afirma que Obama critica a proposta da rival ''porque ele não tem proposta alguma''.

''Barack Obama quer que você continue a pagar um total de US$ 8 bilhões. Ele não está sacando'', diz o comercial.

Estratégia da reta final
A campanha de Obama respondeu com um outro comercial, também na segunda-feira, argumentando que a senadora está oferecendo ''mais do mesmo tipo de política negativa''.

Desde o início de março, a campanha de Hillary vem divulgando comerciais com críticas a Obama nas vésperas de prévias eleitorais.

A estratégia parece estar tendo eficácia, já que a senadora venceu alguns dos mais importantes Estados em disputa desde então, como Ohio, Texas e Pensilvânia, conquistando o voto de diversos eleitores indecisos.

Leia mais sobre: eleições nos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.