Hillary ataca Obama por comentários sobre eleitorado interiorano

Por John Whitesides FILADÉLFIA (Reuters) - A pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, criticou na sexta-feira seu adversário Barack Obama por ter qualificado como amargurados os moradores de cidades pequenas da Pensilvânia. A senadora disse que seu eventual governo vai ajudar comunidades em dificuldades, ao invés de desprezá-las.

Reuters |

Hillary disse que os moradores de pequenas cidades que sofrem com o fechamento de postos de trabalho no Estado são persistentes e otimistas. 'A Pensilvânia não precisa de um presidente que os despreze', disse ela em um comício em Filadélfia. '[Seus habitantes] precisam de um presidente que se erga por eles, que lute por eles, que trabalhe duro por seu futuro, seus empregos e suas famílias.'

Obama teria dito num evento de arrecadação nesta semana em San Francisco que entendia a frustração de moradores de cidades atingidas pela perda de empregos industriais. 'Você vai a essas pequenas cidades da Pensilvânia e, como muitas pequenas cidades no Meio-Oeste, os empregos estão indo embora há 25 anos e nada os substitui', disse Obama segundo o site Huffington Post.

'E não é surpreendente que eles fiquem amargurados, eles se apegam às armas, ou à religião ou à antipatia por pessoas que não são como eles, ou a um sentimento anti-imigração ou um sentimento anticomércio [exterior] como forma de explicar suas frustrações', disse ele.

Hillary chegou a liderar as pesquisas na Pensilvânia por mais de 10 pontos percentuais, mas sofreu uma queda nas últimas semanas, ficando agora apenas entre 4 e 6 pontos à frente. Esse Estado, o mais importante que ainda resta na disputa democrata, vota no dia 22 e é essencial para que a senadora mantenha as chances de ser indicada candidata. Nele existe um grande eleitorado que se inclina por Hillary.

As declarações de Obama também foram criticadas pela campanha do candidato republicano, John McCain. 'Eles mostram um elitismo e uma arrogância em relação aos norte-americanos trabalhadores que não são nada menos do que de tirar o fôlego', disse Steve Schmidt, assessor de McCain, ao jornal Político.

A campanha de Obama não comentou diretamente as declarações do candidato, mas reagiu a ambos os ataques dizendo que os norte-americanos estão cansados de políticos que falam muito mas não combatem 'interesses especiais'.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG