Hilary avalia decisão no Iraque de não excluir candidatos em legislativas

Washington, 5 fev (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse hoje se sentir encorajada pela decisão tomada no Iraque de não excluir 500 candidaturas das eleições de março e pediu que não sejam tomadas medidas que possam solapar sua legitimidade.

EFE |

Nas eleições do dia 7 de março próximo estarão em disputa 325 cadeiras do Parlamento.

"Sentimo-nos encorajados pela decisão esta semana de reverter a decisão de eliminar da lista eleitoral os nomes de 500 candidatos para as próximas eleições", disse a chefe da diplomacia americana em breves declarações à imprensa.

A Comissão Eleitoral iraquiana, a partir de um recurso apresentado por um órgão que procura evitar a incorporação política de partidários do antigo regime, decidiu no dia 15 de janeiro tirar das listas das eleições 500 candidatos por seus supostos vínculos com o dissolvido partido Baath.

Mas uma comissão de apelação rejeitou essa resolução e adiou para depois das eleições uma decisão final sobre os candidatos acusados que tenham conseguido uma cadeira.

O Governo iraquiano qualificou a decisão do comitê de apelações de inconstitucional.

Os Estados Unidos quer que as eleições iraquianas sejam "livres e justas" e vistas como "legítimas" por todas as comunidades desse país e da comunidade internacional.

"Esta é uma oportunidade extraordinária para os iraquianos para consolidar sua democracia", disse.

Neste sentido, pediu a todas as partes e a todos os líderes do Iraque para não fazer nada que possa solapar a legitimidade das próximas eleições. EFE cae/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG