Uma pesquisa realizada por cientistas na Califórnia, nos Estados Unidos, indica que as risadas poder ser usadas pelas hienas para se identificar em grupo, em relação a outros membros da mesma espécie. No estudo, feito por especialistas da University of California, em Berkeley, foram analisados os sons emitidos por 17 animais que estavam competindo por quantidades limitadas de comida - situação em que tendem a emitir as famosas risadas.

Os sons de cada hiena foram analisados, classificados e comparados uns com os outros.

A conclusão foi de que o tipo de nota emitida (mais grave ou mais aguda) e as variações nas risadas podem ser usadas para indicar a idade ou a posição hierárquica do animal no grupo.

Hienas mais jovens tendem a ter risadas mais agudas, fêmeas dominadoras - em bandos altamente hierárquicos - tendem a emitir uma gama menor de sons.

"Sociedade complexa"
A rica estrutura social do bando se reflete em vários tipos de sons, desde berros que viajam grandes distâncias até grunhidos baixos.

Mas é a risada da hiena malhada (da espécie Crocuta crocuta) que deu ao animal sua fama peculiar.

"Esta é uma sociedade muito complexa de animais noturnos, então a acústica é um canal importante de comunicação para eles", disse Nicolas Mathevon, o responsável pelo estudo.

A pesquisa concluiu que as frequências básicas de cada risada, ou "as notas" emitidas por cada hiena, eram bastante específicas para cada indivíduo.

Quando confrontada com uma risada de origem desconhecida, a equipe de pesquisadores foi capaz, em 50% dos casos, de identificar de que animal ela tinha vindo.

Como as frequencias tendem a cair (ou se tornar mais graves) com a idade, os especialistas concluíram que a risada anuncia a idade do animal.

"Frustração"
Além disso, o "estilo" das risadas, ou seja, a quantidade de variações identificadas, pode indicar posição de dominância ou não da hiena no grupo, sugerem os pesquisadores.

"Em situações de competição, animais de posição inferior na hierarquia riem muito mais", disse Mathevon à BBC.

"Nós achamos que isso é um sinal de frustração", ele disse.

O estudo será divulgado em uma reunião da Acoustical Society of America.

Mathevon disse que a sua equipe planeja agora investigar como as hienas usam a informação codificada nas risadas, ao tocar as gravações separadamente para os animais e observar como se comportam.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.