Helicópteros que devem recolher reféns das Farc chegam a Villavicencio

Ana Gómez. Villavicencio (Colômbia), 27 mar (EFE).- Os dois helicópteros brasileiros que devem recolher os dois reféns das Farc nas selvas do sul da Colômbia chegaram hoje à cidade de Villavicencio, no centro do país, junto à missão humanitária liderada pela senadora Piedad Córdoba.

EFE |

As aeronaves Cougar do Brasil, com emblemas da Cruz Vermelha, chegaram às 13h no horário local (15h, Brasília) no aeroporto de Vanguardia de Villavicencio, a 120 quilômetros de Bogotá.

A senadora Córdoba confirmou que a operação deve ocorrer conforme o previsto e que o soldado Josué Daniel Calvo deve estar livre amanhã à tarde.

"Nós fomos muito bem. Saímos hoje cedo (de São Gabriel da Cachoeira (AM)), fizemos um parada e duas horas e meia de voo.

Descansaremos esta tarde e sairemos amanhã muito cedo rumo ao local da libertação", disse aos jornalistas.

A senadora também agradeceu o Brasil. "Estamos muito agradecidos ao Governo brasileiro pelo apoio absoluto e total dos generais que nos receberam ali", disse Córdoba, em referência a acolhida que a missão recebeu em São Gabriel da Cacheira, onde chegou na sexta-feira para dar início a missão humanitária.

Também fazem parte do grupo que irá recolher os soldados dois pilotos brasileiros que já participaram das libertações de reféns colombianos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em ocasiões anteriores.

A senadora explicou que este domingo o grupo deve sair "às sete da manhã (9h, Brasília)" rumo a um ponto da selva que só ela conhece para recolher o soldado Calvo, enquanto o resto da operação irá acontecer conforme o previsto. Ou seja, na terça-feira a missão deve seguir a mesma rotina em outro ponto do sul do país para receber o sargento Pablo Emilio Moncayo, cativo há 12 anos.

Além disso, Córdoba disse estar segura de que as Farc entregarão os restos do major da Polícia Julián Guevara, que morreu em poder da guerrilha em 2006.

Apesar de ter se comprometido em devolvê-los, na sexta-feira as Farc disseram que isso talvez não fora possível devido a presença de militares colombianos na zona em que o corpo se encontra. "Não sabemos se será amanhã ou na terça-feira, mas com absoluta certeza os restos serão entregues", disse em comunicado.

A senadora aproveitou para defender a construção de "cenários para acabar com a guerra" que, segundo ela, "divide" os colombianos.

Antes dos helicópteros chegarem a Villavicencio, o comissário de paz já havia confirmado que o primeiro refém a ser libertado seria Calvo.

"Assim que o soldado Calvo descer do helicóptero, será recebido pelo seu papai (Luis Alberto Calvo) e outros membros de sua família e poderão passar todo o tempo que quiserem nesta sala", disse Pearl.

Ele também disse que este soldado "vem ferido", por isso será levado imediatamente para o Hospital Militar de Bogotá. EFE agp-ocm/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG