NASSAU (Reuters) - A tempestade tropical Hanna atingiu partes do Haiti na terça-feira, provocando avalanches nas encostas dos morros, matando ao menos 25 pessoas. No mesmo dia, uma nova tempestade tropical, Josephine, formava-se perto da África na esteira da tempestade Ike. As duas locomoviam-se para o oeste enquanto o furacão Gustav desaparecia depois de ter atingido a costa norte-americana nas proximidades de Nova Orleans.

A sequência de tempestades no Atlântico confirma as previsões sobre uma temporada de furacões mais agitada que o normal e traduz-se em notícias preocupantes para as instalações norte-americanas de petróleo e gás no golfo do México, para os milhões de moradores do Caribe e da costa dos EUA e para os produtores rurais que temem o alagamento de seus campos de cultivo.

O governo norte-americano previu que haverá de 14 a 18 tempestades tropicais durante os seis meses da temporada que se iniciou no dia 1o de junho, um número maior do que a média histórica de dez. O Josephine já é a décima tempestade, tendo surgido antes do pico estatístico da temporada, no dia 10 de setembro.

Na noite de terça-feira, o Hanna atingia a ilha Great Inagua (Bahamas) com ventos de 100 quilômetros por hora, afirmou o Centro Nacional de Furacões (NHC), um órgão dos EUA.

Na quarta-feira ou na quinta, o fenômeno meteorológico deve ganhar força novamente para transformar-se em um furacão de Categoria 1 na escala Saffir-Simpson, com ventos de ao menos 119 quilômetros por hora.

O Hanna trouxe chuvas torrenciais sobre o sudeste das Bahamas, as ilhas Tuks e Caicos (território britânico), o Haiti e a República Dominicana.

No território haitiano, fortes chuvas provocaram grandes enchentes na cidade portuária de Gonaives, onde milhares de pessoas morreram quatro anos atrás durante uma catástrofe semelhante.

'A cidade está alagada e há pontos em que a água chega a 2 metros de altura', afirmou a diretora da agência de proteção civil do país, Alta Jean-Baptiste. 'Desde a noite passada, muitas pessoas subiram no teto de suas casas para escapar das águas.'

Segundo as autoridades, as enchentes e os deslizamentos de terra provocados pela tempestade mataram ao menos 25 pessoas em todo o Haiti, entre as quais 12 em Gonaives e três na cidade de Gros Morne, perto dali.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva, em Port-au-Prince)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.