Haniyeh diz a Carter que aceita um Estado palestino nas fronteiras de 1967

Gaza, 16 jun (EFE).- O chefe de Governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, disse hoje ao ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter que o movimento islâmico aceita a criação de um Estado palestino nos territórios ocupados por Israel na Guerra dos Seis Dias, que aconteceu em 1967.

EFE |

O dirigente palestino, que se reuniu com Carter em Gaza, afirmou que "se existe um projeto realista para resolver a causa palestina com o estabelecimento de um estado nos territórios ocupados em 1967 e com plena soberania, nós o apoiaremos".

"Estamos tentando fazer avançar o sonho de ter nosso próprio estado independente, com Jerusalém como capital", afirmou Haniyeh, em entrevista coletiva junto ao ex-presidente americano, que visitou hoje a faixa palestina.

As declarações de Haniyeh foram feitas depois que o primeiro- ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse no domingo, pela primeira vez desde que assumiu o cargo, no final de março, que aceitaria a criação de um Estado palestino.

Netanyahu condicionou, no entanto, o estabelecimento desse Estado a uma série de requisitos, como a que obriga que o território seja "desmilitarizado" e reconheça "Israel como um Estado judeu". EFE sar-db/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG