Hamas vai divulgar proposta de trégua com Israel

CAIRO (Reuters) - O grupo islâmico palestino Hamas dará nesta quinta-feira ao Egito propostas detalhadas para uma trégua com Israel, disse um porta-voz do movimento. Uma delegação do Hamas liderada pelo ex-ministro do Exterior Mahmoud el-Zahar chegou ao Cairo, na quarta-feira à noite, e tem um encontro com o chefe da inteligência do Egito, Omar Suleiman, na tarde de quinta-feira, acrescentou o porta-voz Taher al-Nono.

Reuters |

Nono negou-se a detalhar as propostas antes do encontro, mas uma autoridade palestina envolvida nas conversas disse que o Hamas voltou atrás em sua exigência anterior de que uma trégua deveria incluir o fim dos ataques israelenses a membros do Hamas em Gaza e na Cisjordânia.

O Hamas, que controla Gaza mas tem importantes membros vivendo na Cisjordânia, vinha insistindo que uma trégua deveria começar ao mesmo tempo em ambas as áreas.

A nova oferta sugere que a trégua comece em Gaza e então chegue, após um período combinado, à Cisjordânia, disse a autoridade palestina, que pediu para não ser identificada.

Ainda segundo a proposta, as facções palestinas interromperiam os ataques com foguetes a partir de Gaza. Em contrapartida, Israel encerraria incursões e assassinatos de militantes, além de abrir pontos de travessia em Gaza, especialmente em Rafah, na fronteira com o Egito.

Israel tem afirmado que não está negociando uma trégua com o Hamas, mas não haveria razões para efetuar os ataques na Faixa de Gaza se os foguetes lançados a partir do território ocupado parassem de cair no país. Os israelenses afirmam ainda que se reservam ao direito de adotar ações militares para proteger seus cidadãos.

O chefe da inteligência egípcia, que mantém contato regular com os israelenses, tem tentado negociar uma trégua entre Israel e o Hamas, especialmente desde que palestinos atravessaram a fronteira com o Egito em janeiro para escapar de um grande cerco israelense.

O ex-presidente dos EUA Jimmy Carter, em viagem ao Oriente Médio na semana passada, tentou persuadir o Hamas a declarar um cessar-fogo unilateral. Mas o grupo negou alegando que Israel negou-se a fazer gestos similares no passado.

Dezenas de palestinos foram mortos em ataques de Israel a Gaza nos últimos dez dias. Três soldados israelenses foram mortos na fronteira com Gaza em 16 de abril.

(Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG