Hamas se dispõe a aceitar Israel, diz Jimmy Carter

O grupo palestino Hamas está disposto a aceitar a existência de Israel vivendo lado a lado a um Estado palestino, segundo afirmou nesta segunda-feira o ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, que na semana passada se reuniu com líderes do Hamas na Síria. Segundo Carter, o Hamas reiterou a posição de que aceitaria a existência do Estado de Israel desde que dentro das fronteiras existentes antes da guerra de 1967, quando foram conquistados a Faixa de Gaza, a Cisjordânia e as Colinas do Golã, e que um acordo nesse sentido fosse aprovado pelos palestinos.

BBC Brasil |

Para Carter, porém, o processo de paz na região "regrediu" desde a conferência de paz promovida pelos Estados Unidos em Annapolis, em novembro do ano passado.

O ex-presidente, que recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 2002, disse considerar um problema o fato de que os Estados Unidos e Israel não aceitam negociar com o Hamas, por classificá-lo como grupo terrorista.

Críticas
Carter, que está em Jerusalém nesta segunda-feira, foi criticado pelos Estados Unidos e por Israel por visitar Damasco, a capital da Síria, para se encontrar com o líder político do Hamas, Khaled Meshaal, na semana passada.

"O problema não é que eu me encontrei com o Hamas na Síria. O problema é que Israel e os Estados Unidos se recusam a se encontrar com alguém que precisa estar envolvido (nas negociações)", disse Carter em discurso no Conselho Israelense para Relações Exteriores.

Israel, os Estados Unidos e a União Européia consideram o Hamas, que controla a Faixa de Gaza, uma organização terrorista. O estatuto do Hamas prega a destruição de Israel e a criação de um Estado islâmico no que hoje é Israel, na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG