Hamas pede que pais não dêem armas de brinquedo, após casos de feridos

Gaza, 3 out (EFE).- O movimento islâmico Hamas, que governa na Faixa de Gaza, pediu que os pais não comprem armas de brinquedo para os filhos, depois que 150 menores ficaram feridos por balas disparadas por estes artefatos.

EFE |

A maior parte dos feridos foi registrada após a festividade de Eid ul-Fitr, que coloca fim ao mês sagrado muçulmano do Ramadã, mas nenhum caso é grave, informaram fontes de saúde de Gaza.

Durante esta festividade, é tradição que os pais dêem dinheiro ou presentes aos filhos, que podem ser rifles ou pistolas de plástico, imitando as armas usadas pelos milicianos armados que vêem pelas ruas.

Os brinquedos que provocaram ferimentos em dezenas de menores são de fabricação chinesa, e foram introduzidos na Faixa de Gaza através de alguns dos túneis subterrâneos que ligam o território ao Egito, afirmam os moradores locais.

"Estas crianças estão ficando seriamente feridas por causa das balas de plástico", afirma um comunicado divulgado pela Polícia leal ao Hamas, que destaca que muitas sofreram lesões nos olhos.

A Polícia pediu que moradores da Faixa de Gaza sejam responsáveis em relação a estes presentes, "a fim de impedir que mais crianças fiquem feridas", e apelou que os comerciantes não vendam este tipo de produto. EFE sar/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG