Hamas nega ligação com comboio de armas atacado por Israel no Sudão

Gaza, 28 mar (EFE).- O Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) negou hoje qualquer ligação com o comboio de armas bombardeado em janeiro em território sudanês e que supostamente se dirigia à Faixa de Gaza.

EFE |

"É irônico vincular este comboio ao Hamas quando não temos certeza de que tenha sido bombardeado", afirmou Salah al-Bardawil, deputado do grupo na Faixa de Gaza.

A emissora americana "CBS" informou esta semana que, em janeiro, caças israelenses bombardearam um comboio com armas procedentes do Irã que se dirigia à Faixa de Gaza.

Segundo as fontes consultadas pelo canal, o armamento entraria em território palestino através do Egito.

"Se esse ataque aéreo for verdade, se trataria de um ato político de Israel e dos Estados Unidos destinado a pressionar o Sudão", afirmou Bardawil.

Na sexta-feira, o Governo sudanês expressou suas suspeitas de que Israel estava por trás do ataque a seu território.

Indiretamente, o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, se referiu às notícias sobre o bombardeio, ao dizer na quinta-feira que o Estado judeu "bate onde pode para deter o terrorismo, perto e longe".

O ataque ao comboio teria matado cidadãos "sudaneses, eritreus e etíopes, e ferido outros", afirma a "CBS". EFE sar/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG