Hamas não estenderá a trégua com Israel, afirma Mashaal

Gaza, 14 dez (EFE).- A facção islamita Hamas não estenderá além dos seis meses originais o período de cessar-fogo com o Governo israelense - na prática, já quebrado por lançamentos de foguetes contra Israel de Gaza -, informou hoje a televisão local palestina Al-Aqsa, que citou um comunicado do chefe da organização no exílio, Khaled Mashaal.

EFE |

"Não haverá renovação do período de calma uma vez que expire", assegurou Mashal em uma nota de imprensa de Damasco à emissora, vinculada ao Hamas.

O cessar-fogo com Israel, em vigor desde 19 de junho, se encerra na quinta-feira e, por enquanto, não se sabe se o Hamas aceitará uma proposta para estendê-lo por outro período similar.

A confusão sobre o futuro da trégua é notória em Gaza onde os dirigentes da facção asseguram que não se tomou nenhuma decisão.

Aiman Taha, porta-voz do Hamas em Gaza, esclareceu que ainda não se tornou pública nenhuma decisão em relação ao cessar-fogo com Israel, e "antes de fazê-lo será necessário consultar as demais facções", informa a edição eletrônica do jornal israelense "Yedioth Ahronoth".

Por sua parte, o chefe do Hamas em Gaza e governante de fato na faixa, Ismail Haniyeh, que discursou hoje em um evento de grande porte pelo 21º aniversário do Hamas, ressaltou que os demais grupos lhe dão resposta negativa "porque o assédio continua, as agressões (de Israel) continuam e a calma não se estendeu à Cisjordânia".

No meio da confusão, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, assegurou esta noite por meio de seus porta-vozes que Israel "deseja seguir com a trégua", mas que é "claro que ela não será unilateral", em referência aos foguetes lançados de Gaza que quebraram o acordo de cessar-fogo. EFE sa'ar-elb/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG