Hamas liberta 150 presos em Gaza, inclusive vários líderes do Fatah

Gaza, 7 ago (EFE) - O Governo do Hamas em Gaza anunciou hoje que libertou 150 prisioneiros, inclusive vários líderes do Fatah detidos nas prisões em massa de partidários dos dois grupos palestinos em uma série de atentados no dia 25 de julho.

EFE |

Em comunicado, o Ministério do Interior do Governo do Hamas também informou que ordenou a reabertura de 20 organizações de caridade em Gaza vinculadas ao Fatah.

"A libertação dos presos e a reabertura de centros é um gesto de boa vontade para acabar com a tensão existente entre os dois movimentos", diz a nota.

As medidas respondem a uma iniciativa apresentada hoje por Ahmed Bahar - membro do Hamas que preside interinamente o Parlamento palestino - para que os dois grupos se reconciliem, diz o ministério.

Os libertados são pessoas ligadas ao Fatah que estavam presas por causa de um triplo atentado, no qual sete pessoas morreram e que o Hamas atribui à facção rival.

Ainda estão presos os suspeitos do ataque, que desencadeou uma escalada da tensão entre os dois movimentos inédita desde que o Hamas tomou o controle da Faixa de Gaza, em junho de 2007, após expulsar as forças leais ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do Fatah, Mahmoud Abbas.

Na Cisjordânia, os corpos de segurança da ANP mantêm presos dezenas de simpatizantes islâmicos e fechados os centros de caridade próximos ao Hamas.

Esta manhã, o Hamas denunciou em comunicado que forças leais a Abbas detiveram dez de seus ativistas em vários pontos da Cisjordânia e invadiram um centro cultural e uma madraçal para crianças órfãs em Hebron. EFE sar/wr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG