Hamas executa em Gaza palestinos por colaborar com Israel

O Hamas executou nesta quinta-feira, em Gaza, dois palestinos condenados por um tribunal militar por colaborar com Israel, na primeira aplicação da pena de morte em território palestino desde meados de 2005, segundo fontes médicas e da ONG de direitos humanos Al Nizan.

EFE |

Os homens executados são Muhamad Ismail, de 32 anos, e Nasser Aby Frayey, de 35, originários respectivamente do campo de refugiados de Jabalya, no norte, e de Rafah, no sul, conforme informou a edição digital do jornal israelense "Yedioth Ahronoth".

Os corpos foram entregues nesta manhã ao hospital Shifa, em Gaza capital, confirmaram fontes desse centro médico.

Segundo a sentença judicial, os executados tinham passado informação a Israel e provocado a morte de centenas de civis e milicianos palestinos durante a ofensiva israelense em Gaza de dezembro de 2008 e janeiro de 2009, que deixou 1,4 mil palestinos mortos, na maioria de civis.

No mês passado, a Procuradoria Geral de Gaza declarou que a execução de pena de morte extraordinária era "não só necessária, mas uma obrigação legal" e o ministro do Interior, Fathi Hammad, confirmou que executaria os "agentes" de Israel, apesar das objeções dos grupos de direitos humanos.

Em Gaza, há pelo menos outras 18 pessoas condenadas à pena de morte (passar pelo pelotão de fuzilamento ou enforcamento), enquanto na Cisjordânia estão pendentes três sentenças capitais nos tribunais militares.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) e líder do Fatah, Mahmoud Abbas, nega-se a aplicar pena de morte, um requisito que exige a Lei Básica palestina.

A lei palestina considera "alta traição" passar informação ao inimigo, o que castiga com execução.

Leia mais sobre Hamas

    Leia tudo sobre: hamas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG