GAZA (Reuters) - O grupo islâmico Hamas vai se reunir com o partido rival Fatah em meados de outubro e espera ratificar um pacto de reconciliação mediado pelo Egito, disse o líder do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Haniyeh, nesta terça-feira. O Hamas assumiu o controle de Gaza em 2007 depois de expulsar forças leais à Fatah do presidente Mahmoud Abbas, que administra a Cisjordânia, e o Cairo agora tenta curar as feridas para abrir caminho para eleições presidenciais e legislativas.

Questionado sobre a possibilidade de ratificar o pacto no próximo mês, Haniyeh disse que "é isso que esperamos, por isso que torcemos. É muito possível assinar, encerrar a divisão, restaurar a unidade nacional e cuidar de causas nacionais."

Haniyeh disse à rede de tevê al-Arabiya que o Hamas pediu ao Egito que retifique algumas das propostas do pacto de reconciliação, mas se recusou a dar mais detalhes.

Entretanto, Mohammad Dahlan, uma autoridade da Fatah, disse que uma reunião ainda tem que ser confirmada. "Nenhuma data foi estabelecida e isso será discutido pela Fatah nesta noite", disse Dahlan, ex-líder em Gaza que hoje vive na Cisjordânia.

Khaled Meshaal, o líder do Hamas que vive exilado na Síria, descreveu as conversas com autoridades egípcias na segunda-feira como muito positivas e disse que o Cairo vai pedir a todas as facções palestinas que realizem um encontro nacional em outubro para ratificar o pacto de reconciliação.

Dahlan disse que um acordo sobre segurança e uma data para as eleições são cruciais para um pacto de união.

"A linguagem de Meshaal foi flexível e positiva, mas a substância é mais importante, e por substância quero dizer uma data para a eleição e uma configuração para as futuras forças de segurança", disse ele.

(Reportagem de Nidal al-Mughrabi em Gaza e Mohammad Assadi em Ramallah)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.