Hamas e Fatah suspendem negociações sobre acordo para governo

CAIRO (Reuters) - As facções palestinas rivais Hamas e Fatah suspenderam nesta quinta-feira as conversas de reconciliação, mediadas pelo Egito, até meados deste mês sem chegar a um acordo, disseram autoridades palestinas. Uma autoridade palestina disse que a rodada de negociações terminou inconclusiva a será reiniciada no dia 26 de abril.

Reuters |

"Surgiram novas ideias que precisarão de mais consultas entre as instituições de cada grupo", disse à Reuters o líder do Hamas, Mahmoud al-Zahar, por telefone. "As conversas foram adiadas por duas semanas".

As diferenças seguem sobre a agenda política para qualquer governo de união, disseram autoridades do Hamas.

O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, disse no domingo que havia "uma grande chance" que as conversas progredissem para superar um racha de cerca de dois anos entre os grupos, que se envolveram em uma rápida guerra civil que culminou com a tomada da Faixa de Gaza pelo Hamas em 2007.

As negociações mediadas pelo Egito encontraram obstáculos no mês passado sobre detalhes quanto à forma e agenda de um governo interino que supervisionaria a reconstrução de Gaza e os preparativos para as eleições.

Um ponto central de desentendimento foi se o novo governo estaria comprometido com os acordos de paz assinados entre Israel e a OLP (Organização para a Libertação da Palestina).

A Fatah e o Hamas se diferenciam fundamentalmente em como lidar com Israel. O Hamas acredita em uma luta armada mas está aberto a aceitar um acordo de longo prazo, enquanto Abbas diz que negociações com Israel são a melhor opção.

Os grupos palestinos haviam concordado, a princípio, em março com a formação de um governo de união e a realização de eleições legislativas e presidenciais até 25 de janeiro de 2010, mas discordam com a agenda política do governo e em leis eleitorais.

(Reportagem de Nidal al-Mughrabi)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG