Hamas discutirá plano egípcio de trégua em Gaza no sábado

Uma delegação do Hamas, incluindo alguns de seus representantes na Faixa de Gaza, viajará no sábado ao Cairo para discutir o plano egípcio de cessar-fogo no território palestino, informou à AFP nesta sexta-feira um alto dirigente do grupo radical islâmico, Mussa Abu Marzuk.

Redação com agências internacionais |


Mussa Abu Marzuk, que está no exílio em Damasco, afirmou que a delegação do grupo pedirá esclarecimentos sobre o plano de três pontos proposto nesta terça-feira pelo Egito. "Sobre cada ponto há muitas questões e precisamos de esclarecimentos", afirmou.

O plano proposto pelo presidente egípcio, Hosni Mubarak, prevê "um cessar-fogo imediato por período limitado", que permita a organização de corredores humanitários e dê tempo ao Egito para trabalhar em prol de uma trégua "global e definitiva".

Ataques continuam

Com a única abstenção dos Estados Unidos, o Conselho de Segurança adotou uma resolução que pede a declaração de um cessar-fogo imediato em Gaza, a retirada das tropas israelenses e a entrada sem impedimentos de ajuda humanitária ao território palestino.

No entanto, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, rejeitou a resolução e disse que a ofensiva na Faixa de Gaza continuará até que o Exército complete sua missão.

"Israel nunca esteve de acordo em que terceiros determinem seu direito de defender sua cidadania", afirma Olmert, em comunicado, horas depois da chamada das Nações Unidas para o fim do conflito em Gaza. O primeiro-ministro acrescenta que "o Exército continuará sua operação para defender a população de Israel até que complete as missões.

O Hamas também não aceitou o documento, elaborado pelo Reino Unido em colaboração com a França e os países árabes, embora o veja como prova do fracasso da ofensiva militar israelense em Gaza. "Este fracasso é o que gerou a resolução", disse, em Beirute, o dirigente Osama Hamdan, em declarações à imprensa local.

Para Hamdan, a resolução do Conselho de Segurança "não leva em conta o interesse palestino e não fala nem da suspensão do bloqueio nem da abertura das passagens fronteiriças" em Gaza.

A atual escalada de violência na região entra hoje no 14º dia sem que a diplomacia internacional tenha conseguido uma solução que convença as partes a deixar as armas. Segundo o correspondente do iG em Israel, Nahum Sirotsky , o cessar-fogo em Gaza ainda está distante.

Diálogo

O jornal britânico 'The Guardian" publicou nesta sexta-feira que o próximo presidente dos EUA, Barack Obama, estaria disposto a dialogar com o Hamas.

O diário diz ter ouvido três integrantes da equipe de Obama cientes de discussões visando a abertura de um canal de negociação com a organização islâmica.

"Não se fala em Obama aprovar negociações diplomáticas diretas com o Hamas cedo, mas ele está recebendo recomendações de assessores para iniciar aproximações em nível de baixo escalão ou clandestinas", disse o jornal.

14º dia de bombardeios

Leia também

Vídeos

Opinião

Leia mais sobre: Faixa de Gaza



    Leia tudo sobre: faixa de gazagaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG