Hamas discute no Egito libertação de soldado de Israel

Representantes do grupo palestino Hamas estão no Cairo nesta segunda-feira para discutir uma possível troca do soldado israelense Gilad Shalit por centenas de prisioneiros palestinos. Fontes palestinas dizem que, na primeira fase do acordo, o Hamas entregaria Shalit ao Egito em troca da libertação de entre 350 e 450 prisioneiros.

BBC Brasil |

Mais palestinos, até 650, presos por Israel, seriam devolvidos quando o militar, capturado pelo Hamas em 2006, voltasse ao seu país.

A BBC apurou que os dois lados têm divergências sobre 70 nomes apresentados pelo Hamas e que Israel não estaria disposto a libertar.

Entre os nomes acordados por ambos os lados está o de Marwan Barghouti, considerado um potencial candidato para substituir Mahmoud Abbas como presidente da Autoridade Nacional Palestina.

O pleito está previsto para janeiro, e Abbas, do Fatah (facção política palestina rival do Hamas), já anunciou que não será candidato à reeleição.

Barghouti serve cinco sentenças por assassinato em uma prisão israelense.

Sigilo
O premiê israelense, Binyamin Netanyahu, no entanto, procurou conter as expectativas de que um acordo seja iminente.

"Muitos detalhes estão vindo do exterior, mas eles não são confiáveis e alguns são intencionalmente distorcidos. Os esforços para libertar Shalit prosseguem, fora da visão da imprensa", disse ele por meio de um comunicado.

No domingo, o presidente israelense, Shimon Peres, anunciou que "progressos reais" haviam sido alcançados mas que os detalhes estavam sendo mantidos em sigilo.

A delegação do Hamas deve partir ainda na segunda-feira do Cairo para Damasco, na Síria, para continuar as negociações.

Vídeo
Correspondentes dizem que Israel e os palestinos divergem também sobre onde alguns prisioneiros devem viver.

O governo israelense seria favorável a que muitos fossem exilados e se recusa a libertar árabes-israelenses.

As negociações para a libertação do soldado progrediram este ano com a intervenção de mediadores alemães. Em outubro, o Hamas produziu pela primeira vez um vídeo do militar em troca da libertação de 20 palestinas detidas por Israel.

No vídeo, datado de 14 de setembro, Shalit, hoje com 23 anos, disse que estava bem fisicamente que os responsáveis pela sua captura "o tratam bem".

Israel mantém cerca de dez mil palestinos detidos em suas cadeias, e esse é um grande ponto de divergência entre os dois povos. Cerca de 40 parlamentares do Hamas e dois do Fatah estão entre eles.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG