Hamas convida ministro de Assuntos Exteriores francês a visitar Faixa de Gaza

Gaza, 24 mai (EFE).- O Governo do Hamas em Gaza convidou hoje o ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard Kouchner, a visitar a faixa territorial, depois que este admitiu que um diplomata de seu país se reuniu nesse território com dirigentes islâmicos.

EFE |

Taher al-Nunu, porta-voz do Governo do Hamas, justificou a oferta na "postura moral da França refletida nas declarações de Bernard Kouchner".

O movimento islâmico também convidou o Ministério francês a "desempenhar um papel ativo" no combate à "divisão entre os palestinos", em referência à lacuna entre os dois principais grupos palestinos: o Hamas, que controla Gaza, e o Fatah, que só exerce sua autoridade na Cisjordânia.

Kouchner está em visita a Israel e à Cisjordânia desde terça-feira, mas não deve ir à Gaza, já que a comunidade internacional boicota o Hamas desde que o movimento ganhou as eleições de janeiro de 2006.

Ontem, na entrevista coletiva de encerramento de uma conferência realizada em Belém para garantir investimentos na Autoridade Nacional Palestina (ANP), o chanceler francês afirmou que "nada justifica a ampliação dos assentamentos" judeus na Cisjordânia.

Israel continua ampliando algumas das atuais colônias em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia, apesar de isto representar uma violação ao Mapa de Caminho, o plano de paz de 2003 que guia as atuais conversas de paz com os palestinos, iniciadas na Conferência de Annapolis (EUA), em novembro passado.

Israel argumenta que não faz sentido parar de construir em Jerusalém Oriental - onde não considera que haja assentamentos, mas bairros - ou na Cisjordânia, por considerar que terá soberania sobre essas localidades uma vez ratificado um eventual acordo de paz.

Na última terça-feira, Kouchner reconheceu que seu país tinha retomado os "contatos" com o Hamas, mas frisou que não foram "relações" formais e que de nenhuma maneira supunham um rompimento do bloqueio internacional ao movimento islâmico.

O diplomata francês Yves Aubin de la Messuzière, aposentado desde janeiro, se reuniu um mês atrás em Gaza com os principais líderes do Hamas, incluindo Ismail Haniyeh e Mahmoud Zahar, segundo o "Le Figaro".

Após tomar conhecimento dessa notícia, a Casa Branca chamou de "imprudente" a retomada do diálogo com o Hamas, grupo que tanto os EUA quanto a União Européia (UE) consideram terrorista.

Além disso, o movimento islâmico rejeita as três condições do Quarteto de Madri para o Oriente Médio (ONU, EUA, UE e Rússia): reconhecimento do Estado de Israel, dos acordos entre este e a Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e a renúncia à violência.

Israel disse que pediu explicações à França imediatamente após tomar ciência desses contatos. EFE sar/wr/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG