Hamas condiciona trégua com Israel ao fim de operações militares

O chefe de governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, condicionou uma trégua com Israel ao fim das operações militares israelenses em Gaza e Cisjordânia.

AFP |

"A calma, se for aceita pela ocupação israelense, deve ser recíproca, simultânea e global, em Gaza e na Cisjordânia", afirmou Haniyeh, cujo governo não tem o reconhecimento da comunidade internacional, durante a inauguração de um hospital infantil em Gaza.

"Os mecanismos de aplicação de uma tréga dependem do fim da agressão, da suspensão do bloqueio e da abertura de pontos de passagem (em Gaza)", acrescentou.

O Hamas controla a Faixa de Gaza desde junho de 2007.

Ismail Haniyeh disse ainda que uma delegação do grupo radical viajará nesta quarta-feira ao Cairo para transmitir sua posição sobre uma trégua aos mediadores egípcios.

Israel rejeitou em várias ocasiões uma trégua, alegando que suas operações na Cisjordânia impedem que os grupos armados palestinos ataquem seu território.

As declarações de Haniyeh contradizem informações recentes da imprensa de que o Hamas estaria debatendo a possibilidade de aceitar uma trégua imediata em Gaza, para depois discutir a situação na Cisjordânia.

Leia mais sobre: crise em gaza

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG