Hamas condena ordem de detenção do TPI contra presidente sudanês

GAZA - O Movimento de Resistência Islâmica, o Hamas, condenou nesta quarta-feira a ordem de detenção emitida pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) contra o presidente do Sudão, Omar al-Bashir.

EFE |

O líder sudanês é acusado de crimes de guerra e lesa-humanidade em Darfur, no Sudão.

Em comunicado enviado à imprensa, o porta-voz do Hamas Tahar al-Nunu afirmou que a decisão do TPI é "injusta".

O primeiro-ministro deposto e líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, visitou o Sudão há dois anos, onde recebeu o apoio das autoridades do país, que guarda boas relações com o grupo palestino.

"O governo palestino denuncia e condena a ordem da Corte internacional, a qual considera uma decisão política injusta e mostra que a Justiça mundial olha com um só olho", afirma Nunu.

O porta-voz acrescentou que "a emissão desta ordem de detenção expressa o desejo americano, que ignora os verdadeiros criminosos, que são os líderes sionistas que cometeram massacres e crimes horríveis contra nosso povo".

Nunu fazia referência à recente ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza entre 27 de dezembro e 18 de janeiro, na qual 1.400 palestinos morreram e pelo menos outros cinco mil ficaram feridos.

"Devemos nos movimentar o mais rápido possível e mostrar pleno apoio ao Sudão e a seu presidente contra a injusta campanha que tem como alvo esse país", afirma o comunicado.

Leia mais sobre Sudão

    Leia tudo sobre: sudão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG