Hamas condena decisão de Israel de rejeitar trégua

Gaza, 18 fev (EFE).- O movimento islamita Hamas condenou hoje a decisão de Israel de rejeitar uma trégua que envolva a abertura das passagens da Faixa de Gaza até que o soldado israelense Gilad Shalit, sequestrado em 2006, seja libertado.

EFE |

"A decisão israelense é uma punhalada pelas costas no Egito", afirmou hoje o porta-voz do movimento Ismail Radwan, em referência aos esforços do Governo do Cairo para conseguir um cessar-fogo.

Israel decidiu hoje abandonar as negociações e deixar em suspenso o acordo, ao exigir que a questão da trégua seja vinculada à troca de prisioneiros para libertar Shalit.

"Seria inconcebível aceitar uma trégua e a abertura de passagens a Gaza sem a libertação de Shalit", disse o Ministro do Interior de Israel, Meir Sheetrit.

Para libertar o soldado, o Hamas exige que cerca de 1.400 palestinos presos no Estado judeu sejam soltos.

Radwan afirmou que a decisão do Governo israelense "não dobrará o Hamas".

"Continuaremos insistindo em nosso direito de defesa; não temos nenhuma pressa de chegar a uma trégua nas condições estabelecidas por Israel", assegurou o porta-voz islamita.

A decisão do Estado judeu surpreendeu também o Governo egípcio, que acreditava no sucesso do acordo que colocaria um ponto final no conflito em Gaza entre dezembro e janeiro. EFE sar-elb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG