Hamas condena acordo internacional para conter tráfico de armas a Gaza

Gaza, 14 mar (EFE).- O movimento islâmico Hamas condenou hoje o acordo alcançado por nove países ocidentais, em Londres, para conter o tráfico de armas para a Faixa de Gaza.

EFE |

"O fato de que a ocupação utilize as superpotências para impedir que as armas entrem em Gaza é mais uma prova de sua quebra" e "mostra a incapacidade da ocupação para acabar com a resistência armada", disse aos jornalistas o deputado do Hamas Mushir el-Masri.

Segundo ele, "qualquer tentativa para eliminar o direito dos palestinos à resistência baterá de frente com a determinação do povo".

Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Holanda e Noruega decidiram na sexta-feira, em um encontro realizado na capital britânica, colaborar para impedir que as milícias palestinas em Gaza obtenham armas, informou hoje a versão on-line do jornal "Ha'aretz".

Para isso, os nove países, todos eles membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), aumentarão a pressão diplomática, trocarão informação sobre a origem e a rota de navios e poderão deter os navios suspeitos de levar armas para Gaza, sempre em cumprimento da legislação internacional e nacional.

Frear o fornecimento de armas foi um dos objetivos da operação militar israelense em dezembro e janeiro passados, na qual Israel bombardeou Gaza durante 22 dias e que causou a morte de mais de 1,4 mil palestinos, na maioria civis. EFE sar-aca/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG