Hamas celebra aniversário com advertências a Obama e sionistas

Mais de 100.000 partidários do Hamas celebraram neste domingo em Gaza o 21º aniversário do movimento radical palestino. O primeiro-ministro do governo da organização, Ismail Haniyeh, advertiu o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, e os sionistas que não vencerão o povo palestino.

AFP |

Os simpatizantes do movimento se reuniram na grande praça da cidade de Gaza, a Katiba, em um ato que pretende mostrar a força do Hamas a Israel, que mantém o território isolado, assim como ao Fatah, do presidente palestino Mahmud Abbas.

"Enviamos uma mensagem à administração americana de Obama e aos sionistas: não vencerão o povo palestino", afirmou Haniyeh.

"Apesar do bloqueio que Israel mantém sobre a Faixa de Gaza, o Hamas é mais forte e continuará sendo mais forte, pois recebe sua força de Deus", acrescentou o chefe de Governo do Hamas, que desde junho de 2007 controla a Faixa de Gaza,

Haniyeh disse ainda que o atual presidente americano, George W. Bush "fracassou. Não caímos".

"Bush lançou a guerra contra o povo palestino e ameaçou todos aqueles que queriam romper o cerco. Deu dinheiro e armas aos sediciosos (NR: o Fatah de Mahmud Abbas) para dirigir um Estado contra a legalidade", acrescentou Haniyeh.

"O Hamas passou das pedras ao fuzil e aos foguetes, de um apoio de milhares de pessoas ao apoio de milhões de pessoas nos países árabes e em todo o mundo. Tem conseguido golpear a segurança nacional de Israel", afirmou mais cedo, em tom de celebração, o mais influente dos líderes do movimento em Gaza, Mahmud Zahar.

sa-mel/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG