Hamas afirma que Fatah usou o Google Earth para espionar alvos em Gaza

O movimento islamita Hamas acusou nesta segunda-feira a Autoridade Palestina de ter espionado seus ativistas em favor de Israel durante a recente guerra em Gaza, e de utilizar o programa Google Earth para localizar alvos.

AFP |

"Oficiais e membros dos serviços de segurança de Ramallah encarregaram seus agentes (em Gaza) a vigiar os movimentos da resistência na Faixa de Gaza", afirmou em uma entrevista coletiva em Gaza o porta-voz do ministério do Interior do Hamas, Ihab al-Ghosein.

"Estas informações foram enviadas a Ramallah (sede da Autoridade Palestina) e depois transmitidas ao inimigo (Israel), que apontou contra objetivos baseado nas informações recebidas antes e durante a guerra", acrescentou o porta-voz.

Na entrevista foram exibidos vários vídeos que mostravam "confissões" de homens que diziam ser membros do Fatah de Mahmud Abbas, presidente da Autoridade Palestina.

Segundo um dos principais diretores dos serviços de inteligência do Hamas em Gaza, Abu Abdallaha, vários mapas, realizados principalmente com a ajuda do programa Google Earth, foram transmitidos para localizar com precisão vários alvos depois atacados pela aviação israelense.

De acordo com a fonte, as coordenadas de esconderijos de armas em Beit Hanun (norte da Faixa de Gaza) foram transmitidas, assim como plantas da residência do primeiro-ministro do Hamas, Ismail Haniyeh, entre outros objetivos.

A ofensiva israelense na Faixa de Gaza (27 de dezembro a 18 de janeiro) matou 1.330 palestinos. O objetivo declarado era reduzir ao mínimo os disparos de foguetes palestinos contra Israel.

Leia mais sobre Google Earth

    Leia tudo sobre: fatahgoogle earth

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG