Hamas acusa Israel de dificultar os esforços do Egito para conseguir trégua

O chefe do movimento radical palestino Hamas no exílio, Khaled Mechaal, acusou nesta terça-feira Israel de bloquear os esforços do Egito para alcançar uma trégua na Faixa de Gaza ao exigir que esta seja vinculada à liberação do soldado israelense Gilad Shalit.

AFP |

"Responsabilizaremos Israel por obstaculizar o esforço do Egito para alcançar a trégua, ao acrescentar uma condição de último minuto", declarou Mechaal ao término de uma reunião em Damasco com o secretário da Liga Árabe, o egípcio Amer Musa.

"Só haverá uma trégua em troca da suspensão do bloqueio e da reabertura das passagens fronteiriças em Gaza. É inaceitável misturar a trégua com o caso do prisioneiro israelense Gilad Shalit", acrescentou Mechaal.

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, repetiu nesta terça-feira que só haverá um acordo sobre a reabertura dos pontos de passagem para a Faixa de Gaza se for libertado o soldado Shalit.

"Primeiro queremos solucionar o caso Shalit e depois examinaremos a reabertura dos pontos de passagem", declarou Olmert durante uma visita ao Muro das Lamentações em Jerusalém.

Olmert disse, além disso, que apóia "os esforços do Egito para deter o contrabando de armas (para a Faixa de Gaza), que permitirão devolver a calma às aglomerações no sul de Israel, alvo de disparos de foguetes palestinos".

Antes, o presidente do Egito, Hosni Mubarak, se recusou a vincular o futuro do soldado israelense Gilad Shalit, capturado em 2006 na fronteira com a Faixa de Gaza, a uma trégua no território controlado pelo Hamas.

"O Egito não mudará de posição a respeito da trégua. O tema do soldado israelense Gilad Shalit é um assunto separado que não pode, de maneira nenhuma, ser vinculado às negociações sobre a trégua", afirmou o presidente.

Mubarak fez as declarações na segunda-feira à noite durante uma visita ao Bahrein.

feb/fp/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG