Hamas acusa Fatah e Abbas de dirigir rede de espionagem para Israel

Gaza, 6 jul (EFE).- O governante na Faixa de Gaza e líder do movimento islâmico Hamas, Ismail Haniyeh, acusou o Fatah e seu líder, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, de dirigir uma rede de espionagem para Israel, sobre cuja desarticulação informou hoje.

EFE |

"Em recentes detenções, os serviços de segurança conseguiram desmantelar várias células que canalizavam perigosa informação, embora falsa, a Ramala e, deste local, a Israel", disse Haniyeh à imprensa.

Segundo o primeiro-ministro do Governo do Hamas em Gaza, os membros desta rede eram funcionários da ANP, cujas forças foram expulsas pelo Hamas de Gaza em junho de 2007.

Os detidos recebiam seus salários do Governo do primeiro-ministro da ANP, Salam Fayyad, que tem sua sede em Ramala.

Haniyeh acrescentou que, com eles, o Hamas priva Israel de "um banco de alvos", de modo que "a ocupação não será capaz de derrotar a glória de nosso povo e nossa esperança".

Afirmou que não se trata de detenções de ativistas do Fatah pelo simples fato de militar nesse partido, mas como colaboracionistas.

Nos últimos dois anos, os dois movimentos palestinos detiveram cerca de 100 ativistas rivais em Gaza e na Cisjordânia, mas, nas últimas semanas, com o início no Cairo das negociações de reconciliação, começaram a libertar alguns.

Por enquanto, não se sabe se o anúncio de Haniyeh sobre as novas detenções terá algum impacto nas negociações que devem ser retomadas no final deste mês. EFE sar-elb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG