Governo haitiano emite passaporte a ex-presidente Jean-Bertrand Aristide, o que permitirá que retorne do exílio na África do Sul

Duzentos manifestantes foram às ruas nesta segunda-feira, em Porto Príncipe, para pedir a saída do presidente haitiano, René Préval - cujo mandato termina esta segunda-feira -, enquanto o chefe de Estado manifestou a intenção de permanecer no cargo até ser concluída a eleição presidencial.

Haitianos protestam contra eleições presidenciais, em Porto Príncipe
AFP
Haitianos protestam contra eleições presidenciais, em Porto Príncipe
O protesto ocorreu na praça Champ-de-Mars, em frente ao Palácio Nacional, que está em ruínas desde o terremoto de 12 de janeiro de 2010 e cujo acesso foi protegido por veículos da polícia haitiana e capacetes azuis da ONU. "Preval, devolva a chave do palácio, tua missão chegou ao fim!", exigiram os manifestantes, enquanto atiravam latas de lixo, enquanto um grupo de jovens lançou pedras contra as forças de segurança, sendo dispersado depois com bombas de gás lacrimogêneo. A situação, com o passar do dia, voltou ao normal.

Preval devia passar o poder ao sucessor neste 7 de fevereiro, mas o Haiti se encontra em meio a distúrbios devido ao primeiro turno das eleições, que foram contestados os resultados do primeiro turno das eleições.

A ex-primeira-dama haitiana, Mirlande Manigat, e o cantor Michel Martelly disputarão o segundo turno, que será realizada em 20 de março, depois que o candidato da situação foi retirado da corrida presidencial.

Passaporte

Também nesta segunda-feira, o governo haitiano concedeu um passaporte ao ex-presidente Jean-Bertrand Aristide (1991, 1994-1996 e 2001-2004), o que permitirá a ele retornar de seu exílio na África do Sul, disse uma fonte do governo.

"O passaporte foi emitido na segunda-feira. Todas as formalidades foram cumpridas", informou um alto funcionário que não quis se identificar. 

O passaporte será entregue a um dos advogados de Aristide, Ira Kurzban, que mora em Miami e chegou recentemente ao Haiti para pegar o objetivo, segundo a mesma fonte.

Se o retorno for confirmado, Aristide, que continua sendo muito popular entre a população mais carente, será o segundo ex-presidente em retornar ao país depois do ex-ditador Jean-Claude "Baby Doc" Duvalier (1971-1986). Ele retornou ao Haiti em 16 de janeiro, depois de 25 anos de exílio na França.

*Com AFP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.