Haiti vai libertar oito dos dez missionários americanos presos

Um juiz haitiano anunciou nesta quarta-feira a decisão de libertar oito dos dez missionários norte-americanos presos em janeiro sob suspeita de sequestro infantil. Duas outras integrantes do grupo, Laura Silsby e Charisa Coulter, permanecerão detidas para interrogatório.

Reuters |


Os missionários, que em sua maioria são ligados a uma igreja batista de Idaho, foram presos na fronteira com a República Dominicana tentando retirar do Haiti 33 crianças sem documentação, apresentadas como órfãs do terremoto de 12 de janeiro.

Os religiosos negaram o sequestro e disseram que pretendiam ajudar as crianças. Soube-se depois que vários menores tinham pais vivos, que entregaram seus filhos na esperança de que eles tivessem uma vida melhor no exterior.

O juiz de instrução Bernard Sainvil falou à Reuters quando chegava ao tribunal para anunciar a decisão aos norte-americanos.

"Já preparei o esboço da ordem de libertação de oito dos norte-americanos hoje, mas no que diz respeito às senhoras Silsby e Coulter preciso fazer algumas outras perguntas. Na verdade, estou considerando ouvi-las já amanhã (quinta), então elas vão continuar detidas enquanto aprofundo minha investigação."

O caso ameaçou provocar atritos entre os governos dos Estados Unidos e do Haiti, mas Claudy Gassant, secretário de Estado do Haiti para Assuntos Penais, disse que Washington permitiu que o Judiciário haitiano mantivesse seu trâmite.

"Posso assegurar que a luz será lançada sobre este assunto e os direitos dos norte-americanos serão respeitados", disse Gassant. "Elogio o governo dos EUA por não interferir nos procedimentos judiciais em curso no Haiti a respeito dos norte-americanos."

Leia também:


Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: euahaititerremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG