Haiti tem novos protestos por preços de alimentos

Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Manifestantes ergueram barricadas nas ruas da cidade de Les Cayes, no Haiti, nesta segunda-feira, para protestar contra os altos preços de alimentos no empobrecido país caribenho.

Reuters |

Centenas de manifestantes participaram do protesto na favela de La Savane em Les Cayes, antes de serem dispersados por soldados das Forças de Paz da Organização das Nações Unidas e da polícia haitiana, que utilizaram bombas de gás lacrimogêneo.

A agitação lembrou os protestos em Les Cayes em abril, quando cinco pessoas foram mortas em batalhas com a polícia e com as forças da ONU, lideradas pelo Brasil.

Os mesmos confrontos levaram a manifestações na capital, Porto Príncipe, e em outras localidades do país, levando o Senado a destituir o primeiro-ministro Edouard Alexis no dia 12 de abril.

O gabinete de Alexis continuou a lidar com os atuais assuntos enquanto um novo governo ainda está sendo formado, mas lutas políticas internas no parlamento têm atrasado o processo de transição.

'Faz mais de quatro meses que o país está sendo governando por um governo em renúncia que não tem legitimidade para resolver os problemas', disse Marc Antoine, um manifestante de Les Cayes, à Reuters na segunda-feira.

'Fizemos uma série de protestos em abril, porque o preço do arroz e de outros alimentos estavam muito altos, mas os preços dobraram desde então', disse Antoine. 'E o presidente Preval e os políticos no parlamento não estão fazendo nada para resolver os problemas', afirmou.

'Partidos políticos e parlamentares estão lutando para resolver quem irá controlar o próximo gabinete. Mas eles não parecem ligar para a população, que está faminta', acrescentou Malerbe Jean-Claude, outro manifestante.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG