Por Joseph Guyler Delva PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - Manifestantes ergueram barricadas nas ruas da cidade de Les Cayes, no Haiti, nesta segunda-feira, para protestar contra os altos preços de alimentos no empobrecido país caribenho.

Centenas de manifestantes participaram do protesto na favela de La Savane em Les Cayes, antes de serem dispersados por soldados das Forças de Paz da Organização das Nações Unidas e da polícia haitiana, que utilizaram bombas de gás lacrimogêneo.

A agitação lembrou os protestos em Les Cayes em abril, quando cinco pessoas foram mortas em batalhas com a polícia e com as forças da ONU, lideradas pelo Brasil.

Os mesmos confrontos levaram a manifestações na capital, Porto Príncipe, e em outras localidades do país, levando o Senado a destituir o primeiro-ministro Edouard Alexis no dia 12 de abril.

O gabinete de Alexis continuou a lidar com os atuais assuntos enquanto um novo governo ainda está sendo formado, mas lutas políticas internas no parlamento têm atrasado o processo de transição.

'Faz mais de quatro meses que o país está sendo governando por um governo em renúncia que não tem legitimidade para resolver os problemas', disse Marc Antoine, um manifestante de Les Cayes, à Reuters na segunda-feira.

'Fizemos uma série de protestos em abril, porque o preço do arroz e de outros alimentos estavam muito altos, mas os preços dobraram desde então', disse Antoine. 'E o presidente Preval e os políticos no parlamento não estão fazendo nada para resolver os problemas', afirmou.

'Partidos políticos e parlamentares estão lutando para resolver quem irá controlar o próximo gabinete. Mas eles não parecem ligar para a população, que está faminta', acrescentou Malerbe Jean-Claude, outro manifestante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.