Haiti prevê reabrir escolas em áreas devastadas pelo terremoto

Porto Príncipe, 13 fev (EFE).- As autoridades de educação no Haiti planejam reabrir as escolas em abril nas áreas diretamente afetadas pelo devastador terremoto de 12 de janeiro, informou hoje à Agência Efe uma fonte do Ministério da Educação haitiano.

EFE |

O plano agora é "tentar abrir as escolas em abril e fechá-las em agosto, para não perder o ano acadêmico" em Porto Príncipe, assim como em outras regiões do oeste, do sudeste e parte do departamento de Nippes (sudoeste) afetadas pelo terremoto.

"Teremos que retomar as aulas sob barracas ou casas pré-fabricadas", destacou a fonte.

As infraestruturas escolares foram severamente afetadas. Segundo a fonte do Ministério da Educação, 80% das escolas ficaram gravemente afetadas e, dessas, 30% ficaram "totalmente destruídas".

A fonte ressaltou que, segundo uma primeira avaliação realizada por inspetores do Ministério, só 20% das 5 mil escolas primárias e secundárias ficaram "intactas".

"Mas é preciso confirmar isso com outra avaliação técnica", acrescentou. Segundo a fonte, o Governo faz uma série de reuniões com vários provedores de fundos com a ideia, entre outras coisas, de criar "um fundo de apoio à educação", para assegurar salários para aos professores, materiais escolares e comida para os alunos.

Entre as instituições figuram a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Banco Mundial (BM).

Na situação atual, o Governo contempla em seu plano o conjunto das escolas públicas e privadas, explicou a fonte, que destacou um acordo nesse sentido com as associações de escolas privadas e setores sindicais.

Enquanto isso, foi iniciada uma fase de preparação nas áreas afetadas e, para isso, são realizadas obras para limpar os lugares e habilitar barracas.

Também se desenvolve uma promoção através das emissoras de rádio para colocar "a necessidade de atividades psicossociais com as crianças" traumatizadas pelo terremoto.

Segundo a fonte, as atividades escolares já foram retomadas em oito departamentos que não foram diretamente impactados por fenômeno. EFE gp/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG